Vc. se encontra aqui: Home // ENTREVISTA // Dr. Gustavo Leal Meirelles – Neurologista

Dr. Gustavo Leal Meirelles – Neurologista

Nosso entrevistado é o médico Dr. Gustavo Leal Meirelles. Formado pela Universidade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem residência médica e Pós-Graduação em Neurologia e

Dr. Gustavo Leal Meirelles

Dr. Gustavo Leal Meirelles

Neurocirurgia. È ex-chefe de emergência do Hospital Geral de Bonsucesso e ex-diretor do Hospital Central do IASERJ. É médico concursado no Ministério da Saúde e na Prefeitura do Rio de Janeiro e autor do livro “Políticas públicas de Saúde” da FGV. Atualmente é gerente médico da Caixa de Assistência dos Servidores da CEDAE. Eis a entrevista cedida pelo programa de Rádio da FASP-RJ.

O que é Neurologia?
A neurologia é a especialidade médica que trata das doenças do cérebro, da espinha e dos nervos de todo corpo. Tais como a Epilepsia, a Enxaqueca, os Derrames, os Aneurismas Cerebrais, a Paralisia Facial, o Mal de Parkinson, a Hérnia de Disco e o Mal de Alzheimer, entre outras.

Neurologia e Psiquiatria são diferentes? Como distinguir uma da outra?
As expressões “nervosismo”, “nervos à flor da pele” e “estado de nervos” fazem pensar que os problemas de stress, de angústia e de depressão são tratados também pela Neurologia. Mas não são. Por outro lado há uma tendência a se achar que a Psiquiatria só trata de gente maluca. Mas não é assim. A verdade é que todos os estados emocionais alterados, sejam em maior ou menor intensidade, podem e devem se beneficiar do apoio psicológico e psiquiátrico. Os malucos, na verdade, nem procuram um psiquiatra. Se o procurassem, não seriam tão malucos assim.

As pessoas são acometidas por dor na cabeça e dizem que estão com enxaqueca. Essa afirmativa tem procedência? O que é enxaqueca?
Muito bem colocado. A enxaqueca é um tipo especial de dor de cabeça, que só com a consulta médica pode ser distinguida das demais, para qual existem remédios modernos e específicos. É mais comum nas mulheres, mas também ocorre em homens. Quando bem tratada, não costuma persistir na terceira idade, e tem forte herança familiar. Muita gente acha que tem enxaqueca e não tem. E outras têm e não sabem disso. Isto porque há variações da enxaqueca, existem doenças parecidas com ela, e há também muitas outras causas de dor de cabeça, além da enxaqueca.
Dos muitos exames que a medicina possui, nenhum deles confirma o diagnóstico de enxaqueca. Portanto, compete ao especialista avaliar o paciente numa consulta prolongada, com perguntas e respostas muito bem direcionadas, comentar e receitar os medicamentos mais apropriados. A enxaqueca não é um problema simples de resolver, mas cabe ao paciente não desistir na busca pelo tratamento adequado, a fim de que não sofra desnecessariamente por boa parte da sua vida.

Zumbido no ouvido e tonteira tem alguma relação com enxaqueca?
Não são sintomas típicos de enxaqueca. Falam mais a favor, por exemplo, de Labirintite, entre outras. O otorrinolaringologista deve ser a primeira especialidade a ser procurada. Se ele nada encontrar, após exames, encaminhar então ao neurologista.
Aliás, eu estou lembrando de uma história de um indivíduo que disse ao Otorrino que achava que a esposa dele estava com problema de surdez. E, o Otorrino disse: “- Olha, antes de você trazê-la à consulta, faça um teste em casa. Você chega em casa e a chame da porta, se ela não vier, você chega mais perto, junto à porta do ambiente onde ela esteja, e chame de novo. E vá fazendo assim até a distância que você sinta que ela lhe ouve, aí você já pode me trazer essa informação.”. Ele então chegou em casa e da porta, (a esposa dele estava na cozinha, de costas), ele disse “Meu bem, cheguei”, e ela nada. Ele chegou no meio da sala “O que é que tem pro jantar?”, e ela nada, não virou. Ele chegou na porta da cozinha. “O que é que tem pro jantar?”, e ela não virou. Ele aí já triste, “Puxa, minha esposa não está ouvindo nada”, chegou mais perto dela e falou alto “O que é que tem pro jantar?”. Ela virou para ele gritando e disse “Eu já disse 3 vezes que é frango com batata frita”. (risos)

A epilepsia está ligada ao sistema nervoso? Quais as causas e como tratá-la?
Sem dúvida está ligada ao sistema nervoso. É uma das principais doenças que a nossa especialidade trata, e nós poderíamos descrevê-la como um curto-circuito cerebral. Uma doença que às vezes ocorre como uma pane no cérebro. Em geral, tem rápida recuperação. É como se o computador tivesse travado. Às vezes parece que ele enguiçou de vez, mas de repente ele volta ao normal sem que a gente tenha feito nada pra isso. A epilepsia tem várias causas possíveis, entre elas o alcoolismo e o uso de entorpecentes, e também causa alguma. Mas é importante que seja sempre investigada, com os múltiplos exames que a neurologia hoje dispõe. Se não se encontrar nada em nenhum exame, estaremos diante de uma Epilepsia Idiopática, ou Essencial, e será tratada como tal. Se for encontrada a causa, naturalmente, tratar-se a causa.
Existem diversos tipos de crises epilépticas, mas a mais comum, a mais conhecida, a mais exuberante é a convulsão. Que, para quem nunca viu, com aqueles abalos, aquela cor azulada do corpo e aquela saliva toda, parece que a pessoa está morrendo. Mas, geralmente, ela se recupera em poucos minutos. É importante frisar que puxar a língua, bater no peito ou massagear os pulsos, não vai mudar em nada a crise nem acelerar a recuperação da pessoa, cabendo apenas rodar suavemente a cabeça dela para o lado, colocar algo macio embaixo dela e afastar a pessoa de tudo onde ela possa se machucar. O chão macio e espaçoso é o melhor lugar para uma crise se consumar. Quando então ela acordar, conduzi-la ao ambulatório médico ou a um pronto-atendimento. Sempre acompanhada. A epilepsia não mata, não contagia e nem enlouquece. E, tampouco impede que a pessoa bem tratada estude ou trabalhe. Ao contrário, os epiléticos costumam ter inteligência acima da média.

As pessoas, de repente são acometidas de paralisia em uma das partes do rosto. É ação do sistema nervoso? O que é a Paralisia Facial?
A Paralisia Facial tem uma ocorrência muito comum e, a princípio não deve assustar ninguém. Isto porque, na maioria dos casos, ela não significa um Derrame e nem um princípio de Derrame. Quando uma pessoa aparecer com a boca torta, e não tiver ido ao dentista, porque a anestesia dentária às vezes causa isso temporariamente, deve-se observar se também um dos olhos dela não está com dificuldade de fechar. Manda-se a pessoa fechar os olhos e só um fecha. Quando isso estiver acontecendo junto com a boca torta, ao contrário do que parece, trata-se apenas de uma inflamação em um nervo do rosto, que costuma ceder com remédios em cerca de três semanas. Nosso famoso e saudoso Ayrton Senna teve isso ainda muito jovem e se recuperou totalmente. As causas são diversas, mas o tratamento é bem eficaz. Só quando a boca fica torta sozinha, sem nenhuma dificuldade em qualquer dos olhos, é que devemos acelerar a ida da pessoa ao médico ou direto a um hospital. Pois aí, pode estar havendo algum tipo de Derrame.
A Paralisia Facial que nós chamamos aqui de Paralisia Facial Periférica, essa só que acomete a boca e os olhos, é a única indicação médica de uso de chiclete. Chiclete, soprar balão, é a chamada auto fisioterapia facial. Costuma ajudar muito.

O que é Acidente Vascular Cerebral? Existe cura para a doença?
A palavra popular para o Acidente Vascular Cerebral é conhecido pela sigla AVC. Ele pode ser de dois tipos. O primeiro, quando alguma artéria do cérebro sofre um entupimento, é o chamado AVC sistêmico. O segundo, quando alguma artéria se rompe, e aí chamamos AVC hemorrágico, geralmente mais grave do que o primeiro. Os sintomas dos dois podem se confundir. Portanto são condições que exigem atendimento hospitalar imediato e avaliação pelo especialista. Hipertensão Arterial e Diabetes não tratadas ou tratadas de forma irregular são as doenças que mais estão implicadas à origem do AVC. Alguns casos vão requerer internação em CTI, outros poderão precisar até operar a cabeça e, isto tudo coloca boa parte desses pacientes em situações de risco de vida. Apesar disso, muitos conseguem se recuperar, mas às vezes com seqüelas e limitações que vão exigir tratamento prolongado, mesmo fora do hospital, além de muito apoio da família e dos amigos.

Podemos ter Aneurismas em qualquer parte do corpo?
Aneurisma é um conceito que está inserido no assunto Derrames. Naturalmente, podemos ter Aneurismas em qualquer parte do corpo. Com freqüência na Aorta Torácica ou na Aorta Abdominal. Mas aqui, nos referimos ao Aneurisma Cerebral. Ele é uma perigosa deformidade em uma artéria do cérebro. Sendo no cérebro, a sua ruptura pode causar um caso de AVC Hemorrágico. Então o Aneurisma é uma das causas de AVC Hemorrágico, uma das causas mais graves, a qual nós devemos ficar mais atentos. O Aneurisma Cerebral, quando diagnosticado, só não será operado se a cirurgia for arriscada demais para a vida do paciente. Isto porque, se um mesmo Aneurisma romper duas vezes, a expectativa de óbito é de 95%. A maior parte dos Aneurismas Cerebrais costuma romper entre os 25 e os 55 anos de idade. O uso de cocaína predispõe esse problema. E, por atingir os mais jovens, o Aneurisma é um dos maiores desafios da nossa especialidade.

E as drogas como a maconha, o LSD, cocaína e outros?
Os Neurônios são as células nervosas, que não se comunicam entre si diretamente, e possuem uma região de espaço entre cada dois Neurônios, que são as Sinapses. Daí, a mensagem eletroquímica, que é o comando cerebral, passa através de receptores de membrana, de hormônios, que passam a mensagem, como se fosse da margem de um rio para a outra margem. A Cannabis, que é a maconha, quando usada, ela se concentra nas margens desses rios, ou seja, ela se impregna nas sinapses, o que significa que ela vai lentificar a passagem da mensagem eletroquímica de um neurônio para o outro. Ou seja, isso tende a lentificar o raciocínio, a prejudicar a escolaridade e a prejudicar o acesso e a permanência no mercado de trabalho. Então, esse é o resultado que teremos, inevitavelmente, com essa escalada de consumo de Cannabis nessa geração que estamos criando e que terá que governar esse país daqui a alguns anos. E isto é muito preocupante.

Insensibilidade à dor. O Senhor tem alguma notícia sobre esse assunto?
Algia significa dor. É sinonímia para dor. Então, se nós temos uma insensibilidade à dor, ou se nós desejamos não sentir dor, nós devemos usar a palavra analgesia. E daí vem os nomes dos principais remédios para dor, no mercado, que são os analgésicos. Os analgésicos objetivam eliminar a dor. Para felicidade, eu posso informar que este é um ponto de grande progresso na medicina nos últimos 20 anos ou 10 anos. Chegando inclusive, hoje em dia, e estamos falando em medicamentos via oral, sem contar nos injetáveis onde a analgesia se consegue plena. Mas chegando nos medicamentos via oral, hoje em dia nós temos no mercado sob prescrição médica, receita presa, produtos comprimidos a base de opiácidos – que são a família farmacológica da morfina. Então, são os analgésicos mais potentes que existem hoje disponíveis em comprimidos e até sublingual. E, só pra concluir, para dor que não se resolve com coisa nenhuma, nem com injeções e nem com injeções venosas, existem hoje procedimentos cirúrgicos onde são colocadas bombas de morfina na coluna. E através dessa bomba, a morfina é desviada para o organismo lentamente, gradualmente, 24 horas por dia, para que o paciente não sinta dor alguma. Claro que são situações extremas.

O médico James Parkinson, descreveu em 1817 uma doença que acabou por levar seu nome – Mal de Parkinson. O que é o Mal de Parkinson e se existe algum modo de se evitar?
O Mal de Parkinson é uma doença neurológica, onde uma substância que é produzida habitualmente pelo cérebro, começa a não ser mais produzida ou passa a ser produzida em menos quantidade. Assim, o tratamento se baseia em medicamentos que vão repor essa substância no organismo e no cérebro da pessoa.
Existem hoje alguns exames de imagem que podem ajudar no diagnóstico, como a Ressonância Magnética com Espectroscopia de Prótons. Esse é um exame moderno, de ponta, de acesso mais difícil. Mas é importante frisar, que existem hoje também medicamentos mais eficazes no combate ao Parkinson.
É bom enfatizar, que os medicamentos mais modernos para Parkinson, existem de 5 anos pra cá. O paciente que iniciou o tratamento de Parkinson há 10 anos e nunca mais voltou, desistiu, ele não está tendo acesso aos produtos novos. Também é assim para a questão da enxaqueca, remédios para dor, para epilepsia, que estão cada vez mais modernos e mais eficazes. Então, cabe sempre consultar, para saber das novidades que a medicina tem alcançado em favor desses pacientes.

O que é uma Hérnia? Existem muitos tipos? Todas são doloridas? E a famosa Hérnia de Disco?
Hérnia é uma palavra que tem um significado bem claro. É um fenômeno de movimento. Então, quando nós temos uma Hérnia Inguinal, que é a mais famosa, ela é uma alça intestinal se movimentando, tentando sair do abdômen pela virilha. Existe também a Hérnia Abdominal, a Hérnia Cicatricial, a Hérnia de Hiato, que é a porção superior do estômago tentando deslizar pra cima do diafragma e ganhando o esôfago, causando uma Esofagite. E existe também a Hérnia de Disco. Essa expressão quer dizer simplesmente “um disco saindo do lugar”. Que disco é esse? O disco é uma peça de cartilagem muito pequena e existem muitas dessas na coluna. Tem uma forma discóide, e por isso é chamada de disco.
Então a Hérnia de Disco é o deslizamento de uma pequena cartilagem, que ao sair do lugar comprime uma raiz espinhal, um nervo que está dentro da coluna, causando uma dor irradiada pelo trajeto do nervo. Quando o nervo é do pescoço, a dor percorre do ombro até a mão. Quando a Hérnia é nas costas, região lombar costuma correr pela perna. E aí lembramos que nem toda dor ciática decorre de Hérnia de Disco. E mesmo quando confirmadas, a maioria das Hérnias de Disco não precisam de operação. Portanto, cabe consultar mais de um especialista para se tomar essa importante decisão. O diagnóstico é feito por Ressonância Magnética da Coluna. Existem 3 tipos de tratamento para Hérnia de Disco que, em geral são usados em conjunto: medicamentos, fisioterapia e acupuntura.

Vamos falar do Mal de Alzheimer. Como essa doença aparece e se existe um limite de idade para as pessoas se cuidarem e quais são os tratamentos? A medicina, que avança vertiginosamente, na cura dos males, já encontrou a fórmula de debelar o Mal de Alzheimer?
O Mal de Alzheimer é uma tendência própria da Terceira Idade. Rarissimamente teremos sinais de Alzheimer antes dos 60 anos. Ela é uma doença central onde a memória fica, aos poucos, comprometida ao lado de outros sintomas. No entanto, nem todo mundo com problemas de memória deve achar que tem esse mal, pois a causa mais freqüente de esquecimento é o stress, as preocupações, a quantidade enorme de assuntos que temos na cabeça todos os dias. Então, se o vizinho está lhe devendo e esqueceu de pagar, esse mal tem outro nome (risos). Se o candidato em quem você votou prometeu que seria honesto e, depois de eleito, parece se esquecer, ele também deve estar acometido de outro mal. Voltando ao cotidiano, esquecer e se lembrar depois, não é sinal da doença, pois quem tem Alzheimer esquece e não se lembra mais, esse é um dado importante.
Existem aqueles casos em consulta, os pacientes perguntando: -”Doutor, eu estou esquecendo de tudo”. – Esqueceu de pedir o troco? -Não. Esqueceu de receber o dinheiro? -Não. Mas esquece o telefone da sogra… Isso não tem nada demais… (risos) .
A consulta com o especialista é fundamental para estabelecer um diagnóstico, até para não tratar a pessoa erroneamente, onde os remédios adequados são de receita controlada e cara. O Mal de Alzheimer bem diagnosticado vai exigir muita dedicação de parentes e amigos, pois a pessoa aos poucos pode se tornar dependente para tudo. Será preciso também ir ao médico com freqüência para reavaliações e revisão de remédios. Internar, só em último caso. Afinal, devemos dar aos idosos que viram criança, a mesma atenção que eles nos deram quando nós éramos crianças de verdade.
Sobre resultados promissores: Os resultados mais promissores em males dessa natureza, como Parkinson e Alzheimer, estão nas pesquisas de Células Tronco. Por isso acreditamos que em menos de uma geração a mais, teremos grandes resultados no tratamento definitivo dessas doenças.

O rosto incha, dói, a pessoa não pode falar, pensa que é dor de dente, vai ao Dentista e descobre que está com Nevralgia do Trigêmeo. Qual a importância do Trigêmeo no corpo humano e o que é Nevralgia do Trigêmeo?
Todos os nervos do nosso corpo nascem da medula espinhal, com 24 sessões. Essas 24 sessões são 12 pares de nervos que nós temos, que saem de dentro da nossa cabeça, e são chamados de XII Pares Cranianos, que nós numeramos em algarismos romanos de 1 a 12, e demos nomes para eles. O quinto par é o nervo Trigêmeo, ele é o responsável, exclusivamente, pela sensibilidade total do nosso rosto e do nosso couro cabeludo, e também por uma parte da sensibilidade da língua. Então a Nevralgia do Trigêmeo é uma disfunção do nervo Trigêmeo. Felizmente, essa disfunção ocorre ou no Nervo Trigêmeo direito ou no esquerdo, nunca nos dois ao mesmo tempo. É um tipo especial de dor. É inesquecível para quem já sentiu, pela sua intensidade. Ocorre em uma das metades do rosto e é muito intensa. É um mau funcionamento do nervo que muitas pessoas confundem com dor de dente.
A Nevralgia do Trigêmeo causa dores súbitas, em choque, agravadas até pela mastigação, pela fala e até mesmo pelo toque no rosto. Analgésicos comuns não surtem efeito, será preciso usar remédios de receita controlada, prescritos por especialistas para resolver o problema. E aí a boa notícia: esses remédios existem. Está disponível nos ambulatórios neurológicos da nossa cidade e de todo o país. São remédios fartamente conhecidos pelos neurologistas e que estão à disposição, inclusive, nas farmácias populares, mediante prescrição dos especialistas, em receituários de órgãos públicos. Algumas vezes se recorre à operação. Mas este, apenas em último caso. Em geral, os medicamentos por via oral resolvem bem.

Todos os males do corpo desequilibram as pessoas, principalmente as que envolvem o sistema neurológico. Existe alguma forma de prevenir uma doença neurológica?
Exames médicos periódicos são sempre importantes. Controlar a pressão arterial, o colesterol e o peso excessivo, evitar o Diabetes e, se diagnosticado, não deixar de tratá-lo, é uma medida muito importante. O consumo excessivo de bebida alcoólica e o uso dos chamados tóxicos também envelhecem o cérebro antes da hora, predispondo convulsões e demências.
Finalmente, está comprovado que os exercícios regulares, tanto físicos quanto mentais, fortalecem todo o organismo por dentro e por fora, ajudando a prevenir problemas circulatórios como o AVC e as demências. Os que têm mais idade costumam dizer aos mais jovens: “Cabeça vazia pensa bobagem”. Pois os mais jovens precisam dizer aos mais velhos: “- Cabeça vazia acaba não pensando nada”. É preciso exercitar a mente em todas as idades.
Palavra Cruzada e leitura são os dois principais exemplos que a gente estimula os pacientes a exercitar.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que os governos devam prevenir as doenças de um modo geral. Diz que prevenir custa U$ 1,00, e tratar custa U$ 4,00. Quando o Sr. fala de prevenção de doenças, teria condições de dizer como está o atendimento público na área neurológica?
Sem dúvida. Existem na nossa cidade Ambulatórios Neurológicos espalhados por diversos postos de saúde, não só na nossa cidade, mas também no estado; e hospitais públicos também com consultas neurológicas. Porém eles são procurados mais por pessoas nervosas, deprimidas e angustiadas que evitam ir ao Psiquiatra e assim congestionam indevidamente o atendimento. Em vários desses hospitais são feitas cirurgias de Hérnia de Disco, de Aneurismas, de AVC e de outras doenças de nossa área. Na cidade do Rio de Janeiro possuímos um Instituto especializado em neurologia, muito pouco conhecido da grande massa, que é o Instituo de Neurologia Domingo Porto, em Botafogo, um hospital público exclusivo para esta especialidade. Também o Instituto Oscar Clarck, no Maracanã, atende seqüelados neuróticos diariamente e seu nome quase não aparece na mídia.
Na verdade, o que existe é que os Hospitais Públicos mais falados são aqueles que têm pronto socorro aberto 24 horas, porque neles acontecem as situações mais dramáticas e que tem maior visibilidade. Então, fala-se muito em Carlos Chagas, Getúlio Vargas, Miguel Couto, Souza Aguiar, Salgado Filho. Não podemos esquecer que há também outros de qualidade a serem procurados para investigação e tratamento continuados em diversas áreas, inclusive na Neurologia, como os Hospitais Universitários, o Estadual Pedro Ernesto em Vila Isabel e o Federal Clementino Fraga Filho, na Ilha do Fundão. Também temos o Hospital do INAMPS da Lagoa, o Hospital do INAMPS de Ipanema, que não tem emergência e por isso, se você quer investigar um problema que o está atingindo, procure um ambulatório ou um hospital que não possua pronto socorro. Serão atendidos mais rapidamente e dispensados com rapidez pelos médicos da emergência, pois serão encaminhados ao ambulatório.
Costumamos dizer que nos Ambulatórios se faz a medicina da paz. Nas emergências hospitalares, pelo menos na nossa cidade, se faz a medicina da guerra.
Então é preciso procurar marcar não só neurologia e sim diversas especialidades. Como as doenças urgentes que geram óbito, risco de vida não aparecem nos ambulatórios, a mídia enfoca só a porta dos grandes prontos-socorros. Então dá a impressão de que essa unidade é como se não existisse. Enfim, nós temos esses locais, apenas o que nós não temos é divulgação.

O Sr. escreveu um artigo sobre a prevenção dos resfriados e gripes. Qual a diferença e como tratar?
A diferença entre gripe e resfriado é a seguinte: As duas são viroses, apenas o resfriado é uma virose que acomete mais as vias aéreas superiores, enquanto que a gripe pode acometer logo a faringe, traquéia, brônquios. Ou seja, a gripe quando chega, ela chega de forma bem mais rápida, prostra o indivíduo, geralmente com febre e o resfriado dificilmente há febre. É importante é lembrar que as duas são viroses e, portanto, em princípio não se tratam com antibióticos. Mas a gripe requer mais cuidados, porque se não for feito tratamento adequado, com alimentação vitaminas e repouso, pode desenvolver uma pneumonia bacteriana e, aí será necessário antibiótico.

E sobre a vacinação dos idosos contra a gripe, isso funciona mesmo?
Tem funcionado muito. Cada vez mais empresas aderem a esse programa, dentro daquela política gastar U$ 1,00 pra não gastar U$ 3,00 ou U$ 4,00. A vacinação contra gripe em idosos previne em torno de 70%. Portanto, existe uma margem de 30% que será vacinada e terá gripe. Mas, essa margem não deverá desestimular, porque 70% é um número bem grande, bem expressivo.

E o que dizer da Automedicação?
A automedicação é muito perigosa não só pela questão da alergia, mas porque este que está lhe recomendando o remédio, ele não sabe nada sobre a sua saúde, não sabe nada sobre eventuais doenças que você tenha, sobre remédios que você toma e situação que você vive. E ele está lhe orientando um remédio que pode fazer uma mistura com um remédio que você usa e você passar muito mal.

Hipertensão Arterial. Dor na cabeça, dor no peito, mal estar, dormência nos braços. O Sr. poderia esclarecer a importância da prevenção dessa doença?
Eu diria: felizes os pacientes que têm Hipertensão Arterial e que sentem alguma coisa quando a pressão sobe. A Hipertensão Arterial, classicamente, ela é chamada silenciosa, porque ela sobe sem dar sintomas. Se nós somos avisados dos sintomas, dor de cabeça, dor no peito, vômito, náuseas, tonteira; então isso é um aviso. Muitas vezes mede-se a pressão de um paciente que não está sentindo nada, e às vezes está com 22 X 12.
Então a Hipertensão Arterial é uma das doenças mais comuns de toda a humanidade no mundo inteiro. Ela pode e deve ser controlada não só por medicamentos, cada dia mais eficazes, e com menos efeitos colaterais, como também com a adoção de uma educação alimentar, evitar o sal, fazer atividade física, dosar o colesterol, e buscar evitar o excesso de peso. Existem pacientes hipertensos extremamente obesos, que quando tratam a obesidade deixam de ser hipertensos, aliás, não só hipertensos como também diabéticos. Às vezes a solução de Hipertensão e Diabetes, que como disse são os dois marcos a gerar um AVC, está apenas na redução drástica do peso do indivíduo.

A Hipertensão Arterial Controlada tem cura?
Existem dois tipos de Hipertensão Arterial. Aquela que acomete o indivíduo ainda jovem, com menos de 40 anos. E aquela que acomete, essa é a mais freqüente, Hipertensão Arterial Primária ou essencial, a partir dos 40 anos. A hipertensão a partir dos 40 anos é classicamente, hereditária, não tem causa conhecida. E essa, provavelmente, o indivíduo terá que tomar remédios ou tomar medidas em relação a sua vida pelo resto da vida. A Hipertensão Arterial Secundária, que é aquela que é, como o nome está dizendo, secundária a uma causa, geralmente renal ou glandular. É a Hipertensão Arterial detectada com universitários de 20 e poucos anos. Enfim, você vai tratar a causa e esse indivíduo deixará de ser hipertenso. Mas a Hipertensão Arterial clássica, aquela a partir dos 40 anos, esta em geral vai exigir a atenção do indivíduo por toda a vida dele.

Que mensagem o Sr. gostaria de transmitir ?
Falamos aqui sobre algumas doenças da nossa área, mas existem muitas outras. E, a verdade é que cada uma delas precisaria de uma entrevista, para esclarecer melhor, pois há muitos detalhes importantes que poderíamos ressaltar. De qualquer forma, conhecer mais as doenças é sempre bom, mas viver o tempo todo preocupados com elas, não faz nada bem.
Como devem ter percebido, nós médicos evitamos até dizer os sintomas das doenças nos meios de comunicação, pois algumas pessoas já começam a sentir esses sintomas só de falar. Em nosso dia-a-dia existem muitos assuntos mais interessantes para se conversar do que sobre as doenças dos outros ou das nossas. No entanto, vocês vão observar, que em algumas rodas sociais, mesas de bar, conversa na praia, muita gente só fala de doença. E isso é preocupante. Devemos falar sobre nossas doenças com os médicos e com os parentes mais íntimos, do contrário, a pessoa vai ouvir muita informação desencontrada ou até mesmo equivocada, e às vezes pode se assustar sem necessidade. Se quero saber se determinado prédio tem risco de cair, pergunto a um engenheiro e só vou acreditar na resposta depois que ele tiver examinado o edifício.
Outras sugestões: Não colecionem remédios fora do prazo de validade em casa. Não recomendem seus remédios para os outros e não peçam atestados médicos falsos. Senão, o dia que você realmente precisar se afastar do trabalho por motivo de saúde, ninguém vai acreditar.

28 Responses to " Dr. Gustavo Leal Meirelles – Neurologista "

  1. Dilma N. Nascimento disse:

    Bom dia!

    Gostaria de saber se o tipo de AVc Hemorrágico que minha mãe teve é grave ou não, abaixo relato laudo da tomografia.

    Calcificações nos núcleos da base bilaateralmente.
    Imagem iso/heperdensa com área hipodensa circunjacente sugestiva de edema. ocupado predominamente os núcleos lentiforme e caudado, além da cápsula interna. á esqueda, sem apresentar captação significativa pelo meio de contraste e exercenso compressão sobre o corno anterior do ventrículo lateral homolateral AVE hemorrágico? / transformação hemorrágica? correlacionar com dados clínicos anteriores não disponíveis no momento.
    - Restante dos ventrículos laterais e terceiro ventrículo de configuração e volume normais.
    - Sulcos da convexidade pronunciados.
    - Linha média centrada.
    - IV ventrículo mediano, de volume normal.
    - Cerebelo e tronco sem alterações expressivas.
    Detalhes técnico:
    Exame realizado através de cortes axiais, antes e após injeção venesa de meio de contraste.
    Fico no aguardo.
    Grata,
    Dilma

    Sra. Dilma Nascimento,

    A gravidade de uma doença depende também de algumas características da pessoa acometida; por exemplo, no caso do AVC da sua mãe, para lhe responder com mais precisão sobre a severidade do problema seria necessário informe quanto à idade dela, saber se ela é ou não diabética, se é ou não hipertensa, se é ou não cardiopata, se é ou não nefropata … Como vê, somente o laudo de uma tomografia dela (onde também não está dito quantos dias depois do AVC este exame foi feito) não fornece dados suficientes para assegurar a gravidade do que a acometeu – aliás, o próprio laudo se encerra com a frase “correlacionar com dados clínicos anteriores não disponíveis no momento”, que é exato o que acabamos de dizer. Posso lhe antecipar apenas que o caso não parece ter indicação cirúrgica, e que já se haviam passado alguns dias do início do AVC quando esse exame foi feito (pelo halo hipodenso adjacente à área de hemorragia, sugerindo que o sangramento já estava sendo absorvido). Outra evidência é que, por acometer a região da cápsula interna esquerda, além de dificuldade na fala (a não ser que ela seja canhota) sua mãe provavelmente apresentou paralisia no lado direito do corpo (hemiplegia direita) – que pode melhorar às custas de bastante fisioterapia. Estranhamos o uso de contraste na tomografia, algo que não se costuma fazer frente à uma hemorragia cerebral – só se alguém suspeitou de um tumor cerebral que tivesse sangrado. Quanto menos informes clínicos, portanto, maior o número de hipóteses. O importante é que ela esteja sendo acompanhada por um bom neurologista, que a terá examinado e com quem você poderá tirar todas as suas dúvidas pessoalmente – ok?

    Dr. Gustavo Meirelles

  2. luizi disse:

    tenho sentindo pressao no lado direito do rosto com latejaçao estou tomando antconvulsivos e antidepressivo mas nao ta adiantando muikto.ja nao vivo mas porque o medo e constante de sentir.quando estou com essa crise ,vem junto um mal estar de djavu e uma sensaçao estranha.sera que tem alguma coisa que tu poderia ta fazendo por mim

    luizi,
    Precisa fazer (ou refazer) um eletroencefalograma, e re-avaliar seus medicamentos – talvez usar outros anti-convulsivantes e/ou anti-depressivos, ou aumentar a dose de algum deles, sempre sob orientação de um neurologista. Principalmente não desistir, como muita gente faz logo no primeiro médico ou na primeira prescrição. As melhores soluções às vezes demoram, mas não são impossíveis de se alcançar.

    Dr. Gustavo

  3. joelton sousa disse:

    gostaria de saber como melhor cuidar de meus avos pois estou desconfiado que ambos estão apresentando os sintomas de alzheimer principalmente o meu avo que no momento tem 85 anos sou morador do riode de janeiro mais precisamente de del castilho gostaria de uma ajuda para melhor lidar com ele pois moro com eles e estou muito preucupado por favor me ajudem meu email e joelton.sousa@hotmail.com

    Sr. Joelton,

    Havendo a suspeita de Mal de Alzheimer, o ideal é levar o seu avô (ou avó) à uma consulta com um neurologista – ou com um geriatra, ou ainda com um psiquiatra, seja através de um convênio que seus avós tenham ou num PAM (o de Del Castilho é bem abrangente). O especialista consultará o paciente, talvez peça alguns exames e depois lhe dirá se é Alzhmeirer ou não, e quais as providências a tomar caso-a-caso. O importante a frisar é que todo problema de saúde deve ter um médico (de preferência especialista) fazendo o diagnóstico e determinando o tratamento – recomendo que não ouça palpites de terceiros e nem tome condutas sem ouvir quem entende cientificamente do assunto, ok?

    Cordialmente,
    Dr. Gustavo Meirelles

  4. auricéia disse:

    boa noite gostaria de saber qual a especialidade que tenho que procurar ,para fazer tratamento de nervo ciático? us dizem que é neurologista outros reumatologista .gostaria de saber o certo desde já agradeço

    Auricéia,
    Em princípio, a melhor especialidade médica para atender patologias do nervo ciático é a neurologia – porém pode ocorrer de este especialista, após avaliação, encaminhar o paciente para um reumatologista ou para um neurocirurgião, dependendo da causa do problema por ele detectada.

    Cordialmente,

    Dr. Gustavo Meirelles

  5. jancie breslauer disse:

    minh avó tem 93 anos e sofre de neuralgia do trigemeo há pelo menos 10 anos. Já fez uma cirugia mas o problema está voltando. Gostaria de saber se há algum medico que atenda na rede UNIMED no rio de janeiro, especialista neste tipo de doença;

    A nevralgia do trigêmeo faz parte do grupo especial das dores neuropáticas, que não se resolvem com analgésicos comuns. Carbamazepina, gabapentina e tramadol são medicamentos que, em doses variadas, podem ajudar muito neste caso – porém todos eles só são obtidos ou vendidos com retenção da receita médica. A cirurgia é um recurso extremo e, como no caso em tela, ainda permite rescidivas. Todos os neurologistas e neurocirurgiões estão habilitados a atender e a tratar esta nevralgia, porque é uma doença ligada à estas especialidades, e as operadoras de saúde costumam fornecer um livro aos seus associados com o nome dos profissionais credenciados por especialidade – portanto assim não haverá maiores dificuldades em encontrar o que você procura.

    Atualmente existe um moderno tratamento cirúrgico para as dores neuropáticas chamado de “neuromodulação”. Trata-se do implante de um gerador de impulsos elétricos no sistema nervoso do paciente, que irá modular a sua atividade neuronal e, assim, evitar que o nervo danificado (como aqui o trigêmeo) envie ao cérebro o informe doloroso. Como se trata de um método de ponta recém-chegado ao Brasil, pode ser que alguns convênios ainda não lhe dêem cobertura – lembrando também que, na elevada faixa etária desta paciente, qualquer pensamento cirúrgico deve ser analisado criteriosamente dentro da balança risco x benefício que norteia todos os procedimentos médicos.

    Cabe não esquecer do serviço de dor existente no Hosp. Estadual Pedro Ernesto (da UERJ), em Vila Isabel, chefiado pelo dr. Carlos Teles. Este colega (que já presidiu a sociedade brasileira de neurocirurgia) é uma referência nacional no tratamento das dores mais extremadas, sendo portanto um recurso público a ser explorado com otimismo.

  6. Joselena Santos Di Mattia disse:

    Gostaria que me indicasse um médico que trata de enxaqueca pois estou precisando mudar a fórmula que hoje estou usando e não sei a quem recorrer.
    Obrigada, antecipadamente, Joselena

    A enxaqueca é uma doença neurológica que, para o seu tratamento adequado, requer paciência e determinação do paciente e também conhecimento especializado e atualizado do médico. Não se trata apenas de mudar de um remédio para outro, mas sim de alterar gradualmente diversos hábitos comportamentais e alimentares para se ter êxito nesta empreitada – sempre orientado por um neurologista. O Instituto de Neurologia Deolindo Couto (da UFRJ), em Botafogo, possui um setor que trata especificamente de enxaqueca, chefiado por um colega por nome Abud. De resto, qualquer dos ambulatórios que possuam a especialidade neurologia espalhados pelo RJ (como o PAM Antonio Ribeiro Netto, na av. 13 de maio, no Centro da capital) ou os diversos colegas neurologistas credenciados das muitas operadoras de saúde poderão ajudá-la a sair deste ciclo vicioso.

  7. Elmira Xavier disse:

    Gostaria de receber instruções de exercícios para o meu filho de 10 anos DE IDADE que após febre de 38 graus e infecção de otite média ficou com paralisia do lado direito do rosto, o médico mandou tomar mais 7 dias de antibiótico além do que já havia tomado 5 dias no hospital onde ficou internado, mandou também usar por 15 dias o nasonex por causa da rinite e fazer 10 sessões de fono, e fazer exercícios como: soprar bexiga, tomar líquidos com canudo etc…
    GOSTARIA DE SABER SE A OTITE CAUSA MESMO ESSA PARALISIA OU DEVO PROCURAR UM NEUROLOGISTA.
    O MEU FILHO ENTORTOU O ROSTO DO LADO DIREITO E O OLHO LACRIMEJOU DURANTE 2 DIAS, HOJE ESTÁ MELHOR MAIS CONTINUA COM PARALISIA DA FACE DIREITA E O OLHO ESTÁ MAIS ABERTO QUE O OUTRO.
    OBRIGADA.

    Em seu trajeto desde o interior da cabeça até o rosto, o nervo facial – responsável pelos movimentos da face – passa por dentro do ouvido, portanto uma infecção nesta região (como a otite) pode produzir uma paralisia facial periférica (que causa boca torta, lacrimejamento do olho e dificuldade de fechamento da pálpebra), que não deve assustar indevidamente ou ser confundida com um “derrame” (AVC) e que costuma melhorar e até recuperar por inteiro à medida que a infecção no ouvido também é debelada. Casos como esse devem ser acompanhados tanto por um otorrinolaringologista quanto por um neurologista, em consultas periódicas.

  8. raimundo azevedo disse:

    gostaria de saber se analgésicos causam esquecimentos?

    Analgésicos são remédios cujo efeito esperado é o combate à dores, e como existe dor de muitos tipos, também há analgésicos muito diversos. Os mais comuns são a dipirona, o paracetamol, o acetaminofen e o ácido acetil-salicílico – porém para dores mais intensas ou de origens específicas iremos encontrar uma gama enorme de fármacos, alguns deles tão potentes que podem até gerar sonolência e deficit de atenção, e isto ser confundido com esquecimento. Na prática, não se espera com o uso de analgésicos a ocorrência de esquecimento como efeito colateral. Lembramos que esta categoria de medicamentos, se somada, certamente corresponde aos remédios mais consumidos no mundo – portanto um efeito colateral tão perturbador como esse decerto estaria em todas as publicações médicas especializadas e até na mídia leiga, o que não se vê.

  9. Rosangela disse:

    Saberia informa a onde fica o Instituo de Neurologia Domingo Porto em Botafogo? Não consegui localizar em nenhum outro site

    Este Instituto de Neurologia na verdade chama-se Deolindo Couto, é da UFRJ e fica ao lado do Instituto de Psiquiatria (também da UFRJ) e próximo ao Hospital Municipal Pinel, logo depois da casa de shows conhecida como “Canecão” – na mesma calçada – à caminho do bairro da Urca.

  10. Rogélia Moreti Rodrigues de Moraes disse:

    Boa tarde!
    Gostaria de saber se a Doença que minha mãe tem Nevralgia do trigênio tem cura.

    A guardo uma resposta com urgência, porque não suporto mais ver minha querida mãe sentir dor, muita dor, estou desesperada!! Me ajude por favor. pagarei pelo melhor especialista, pois minha mãe já se trata com um médico,porém, não obtém nenhum resultado.

    desde já agradeço.

    Rogélia M. R. Moraes.

    Muitos casos de nevragia do trigemeo obtém remissão completa das dores, mas em outros ocorrem rescidivas. Esta nevralgia não se resolve com analgésicos comuns, cabendo medicação controlada a ser prescrita sempre por neurologista. Só quando nenhum esquema terapèutico medicamentoso logra minimizar a frequência e a intensidade das dores é que se recorre à cirurgia – porque também ela não é garantia de que não haverá recrudescimento do quadro. Todos os neurologistas, os mais e os menos famosos, estão habilitados a tratar de nevralgia do trigêmeo, por ser um assunto da nossa especialidade e fazer parte do cotidiano em nossos consultórios – porém no serviço público do dr. Carlos Teles, no Hospital Pedro Ernesto (da UERJ), em Vila Isabel, sua mãe poderá receber um tratamento gratuito e também de alta qualidade.

  11. Larissa Moreno disse:

    Olá Dr. Gustavo!
    Recentemente (05/10) fiz uma videolaparoscopia com seu irmão, o Dr. Homero Meirelles Jr. e através de pesquisas na internet, descobri o parentesco de vocês. Ao ler esta reportagem fiquei bastante interessada, pois sofro de hernia de disco desde os 19 anos e desde então apenas me consulto com ortopodistas, nunca tinha parada para pensar no neurologista. Já fazia um tempo que eu tinha passado por aqui, porém estou em uma crise de dor e estou querendo uma consulta com algum médico desta area. O Dr. atende aonde? Aceita o plano de Saude da Amil (20)? Se não, poderia me indicar algum outro profissional? Desde já agradeço a colaboração. E estarei agora mandando um e-mail p/ seu irmão afim de pegar seus contatos.

    Larissa, meu consultório fica na rua Voluntários da Pátria 445 sala 1206, em Botafogo, tel. 2535-5910 – porém não tenho convenio com a Amil. Caso você me envie os nomes dos neurocirurgiões credenciados, poderei lhe dar algumas indicações.

  12. zenicleide xavier da silva disse:

    Boa tarde!!!
    Gostaria muito de informações , a respeito do tratamento da Neuralgia do trigemio, estou sofrendo com minha mãe, tendo em vista que nada resolve sua dor , ela sofre há 15 anos , e é extremamente dependente do tegretol (carbamazepina 400mg) ,hoje ela usa 1600 mg por dia e ainda assim não está resolvendo seu problema , usa marcapasso e é hipertensa crônica , gostaria muito de encontrar uma forma de solucionar , por favor peço ajuda o que devo fazer?
    Atenciosamente
    Zenicleide Xavier

    *
    Zenicleide, marque consulta da sua mãe no Serviço de Dor do Hospital Estadual Pedro Ernesto, em Vila Isabel – e procure falar com o chefe, dr. Carlos Teles.

  13. cosme edson januario disse:

    Gostaria de saber em qual hospital publico eu posso fazer uma ressonancia magnetica lombar, pois alguns hospitais não tem este aparelho,entao por favor me indique um hospital que eu possa fazer este exame pois estou com muitas dores e não tenho condições de pagar pois é muito caro,desde já agradeço e aguardo resposta,obrigado Cosme.

    *
    Cosme, a rede pública é mesmo carente deste exame, portanto cabe ligar para o serviço chamado de “Imagem Solidária”, em Botafogo, tel. 2535-6000, pois é onde você conseguirá fazêlo pelo menor custo (cerca de 20% do preço habitual do mercado). De qualquer modo, para o ano que vem está prevista a inauguração de um Centro Estadual de Imagens, na av. Pres. Vargas. O prédio ainda está em construção, mas será um grande benefício para todos os cidadãos que precisam fazer exames onerosos como esse.

    Dr. Gustavo Meirelles

  14. Carla disse:

    Doutor..
    faz 2 dias que o lado direito do meu rosto está parecendo paralisado mas nao totalmente..
    minha boca está torta e sinto dificuldades de fechar o olho esquerdo..
    oq eu faço? isso tem cura?

    *******
    Carla, o que você está descrevendo parece ser uma paralisia facial periférica, que é um mau funcionamento de um nervo do rosto. Nada de alarme: procure um neurologista em ambulatório ou consultório – quanto mais cedo você começar o tratamento, mais rápido o problema estará resolvido (geralmente em três semanas) ok?

  15. Vivian disse:

    Tive paralisia facial periférica com 10 anos e hoje tenho 26 anos, e gostaria de saber qual a real probabilidade de eu desenvolver a doenca novamente e se há risco de eu ficar com sequelas caso desenvolva, pois tenho tanto medo que nao tomo gelado mais e tenho medo de engravidar…Aguardo sua resposta!
    Desde já agradeco!

    ********
    Vivian, dezesseis anos depois de ter tido uma paralisia facial periférica você tem tanta chance de tê-la outra vez quanto qualquer pessoa de tê-la pela primeira vez – e não há qualquer relação entre paralisia facial e gravidez, e nem com beber gelado. Além disso, como você mesma percebeu, a paralisia facial dificilmente deixa alguma sequela. Acho que tem muita gente à sua volta falando sobre coisas que não entendem e com isso te assustando sem motivo, acertei? …

  16. Maria Marcia Maciel Rizolli disse:

    Bom dia Dr.

    Meu filho tem o habito de soprar balões.
    Ele adora balões e tem de soprar, pelo menos um, todos os dias. E fica com aquele balão brincando de ouvir o som quando bate em suas mãos, soprando e esvaziando até se cançar amara-lo cheio e pedir outro….
    Essa situação de soprar balões pode lhe fazer algum mau?
    Ha! sim, ele tem Sindrome de Down, 14 anos (com idade mental de 7).

    Obrigada

    Maria Marcia Maciel

    ***********
    Maria Márcia, soprar e esvaziar balões não faz mal à saúde, com ou sem síndrome de Down – mas talvez você possa encontrar outras brincadeiras que também o possam interessar, pois variar as atividades também é uma forma de estimular a mente dele.

  17. Isabel Ferreira disse:

    Olá..minha mãe tem 75 anos e sofre com nevralgia há uns 20 anos,ela fez tratamento homeopático e ficou um bom tempo sem dor.Há 4 anos a dor voltou e nem o carbamazepina está resolvendo,há a possibilidade dela fazer a cirurgia por causa da idade?
    Desde já agradeço.
    *********
    Isabel, não há contra-indicação à cirurgia da nevralgia do trigemeo por conta da idade, mas antes de pensar nesta alternativa (que quase nunca resolve para sempre o problema) você deve consultá-la de novo com um neurologista, pois a carbamazepina não é o único remédio existente para combater o problema da sua mãe.

  18. alexandre pinheiro disse:

    Boa tarde Dr. Gustavo, gostaria muito que o senhor me ajudasse, pois tenho um filho, hoje com 14anos
    e que desde os 2 anos percebemos que tinha dificuldade em ouvir. Tepois de levarmos a vários médicos
    na busca de tratamento, foi diagnosticado ao longo do tempo a ausencia do ouvido esquerdo, sem que
    nenhum desses médicos diagnosticasse com precisão a real causa dessa ausência.Acontece que agora
    (a cerca de 1 ano) meu filho vem reclamando de um zumbido no ouvido direito, provalmente depois de um mergulho na piscina, e isso vem nos preucupando bastante. Ai eu pergunto ao senhor isso pode leva – lo
    a surdez definitiva? tem tratamento e onde? pode se chegar a cura ou a melhora ? onde posso buscar essas perguntas e tratamento, já que os otorrinos onde eu o levo já se mostram incapazes.Muito obrigado

  19. alexandre pinheiro disse:

    Dr. Gustavo aproveito prá perguntar onde fica seu consultorio e se o sr. atende através do convênio
    da Golden Gross. Muito obrigado e uma boa tarde!

    ***********
    Alexandre, o serviço Otorrinos Associados funciona na Policlínica de Botafogo (Av. Pasteur – rua de mão inglesa), atende a quase todos os convenios, está aberto todos os dias (inclusive aos domingos e feriados) durante as 24 horas e é de ótima qualidade. Pessoalmente, não tenho o convenio Golden Cross – mas se for o caso do seu filho, pelo exposto ele deve buscar mesmo atendimento otorrinolarigológico.

  20. Elisangela luzinete da silva disse:

    por favor gostaria de saber sobre a paralisia facial , minha mãe já está tratando faz dois meses e viu muito pouca melhora, ela está fazendo fisioterapia todos os dias tomando me dicamentos e está muito lento!!/ me dê uma resposta por favor

    ******
    Elisangela, a paralisia facial periférica às vezes demora mais a se resolver pela elevada idade e/ou pela existência de outras doenças junto com ela – mas é preciso ter certeza de que ela é periférica e não central (as paralisias centrais tem outro tipo de tratamento e outro curso de evolução), por isso vá a outro neurologista e tire isso a limpo, ok?

  21. Renata Albuquerque Penaforti disse:

    Bom dia Dr. Gustavo gostaria de saber se em algum hospital público faz o exame de ressonância magnética de crânio com volumetria para os hipocampos e espectroscopia. Pois tenho epilepcia e o médico me pediu para fazer esse exame para saber a causa da convulção e esse exame é muito caro.

    E eu também estou a procura de hospital público que tenha neurologista dando consulta se o senhor souber e puder me informar o nome do hospital ficarei grata.

    ********
    Renata, neurologista você encontra em postos de saúde (por exemplo o PAM 13 de maio) mas em hospitais como o Miguel Couto, o Deolindo Couto e o Hospital da Lagoa também há. Ressonância com espectroscopia só no Hospital do Fundão ou no Instituto do Câncer (na Praça Cruz Vermelha) – mas lhe adianto que esse não é o exame determinante no tratamento de epilepsia, exceto se estão pensando em operá-la, o que só está indicado em circunstâncias muito especiais.

  22. Marlene Mello disse:

    Dr. Gustavo estou escrevendo para uma pessoa que necessita muito de uma consulta com um neurologista inclusive na semana passada foi levada ao Hospital geral de Bonsucesso de onde é paciente da ciorurgia vascular com várias cirurgias feita e foi levado ao Hospita Getúlio Vargas e foi submetido a uma tomografia que foi confirmado outro AVE e foi pedido novamente uma tomografia para confiramação de danos recente que talves seja marcada na próxima semana dia 05/04/2010 caso a agenda do HGB seja aberta,mas o que ele mais precisa é de uma consulta com um neuro e que tambem entro em uma fila de espera e o pior pode acontecer durante essa espera.
    Peço uma orientação de como e onde posso conseguir uma consulta o mais rápido possivel.
    Aguardo contato o mais rápido possivel segue o meu tel caso queira alguma informaçao essa pessoa é muito carente e bastante doente sofre de cegueira, diabete já foi vacularisado dos menbros inferires algumas vezes.
    Agradeço por tudo oque o sr. puder me orientar para que eu possa ajuda-lo
    Muito Obrigado Marlene

    ********
    Marlene, por enquanto o caso está descrito de forma bastante confusa, mas se você levar esta pessoa e seus exames bem cedo num dia útil a um ambulatório de um hospital público – por exemplo o Hospital da Lagoa – e pedir atendimento pela neurologia, os problemas dela começarão a clarear.

  23. dr.tenho tido dores musculares ,no braço ,no ombro e passou para a cabeça so de um lado ,tenho sindrome do panico e cm de depressâo ,e nunca tive dores de cabeça a pressâo e otima ,mas asvezes n consequentemente doi,mas poucas vezes sinto a dor de cabeça devido as dores musculares,como eu tenho que me tratar,e serio,tenho medo que seja algo pior.doi ate meu ouvido,as vezes a testa ,e tem, horas que minha cabeça fica fria so vai melhorar a hora que eu me alimento,isso pode ser fraqueza no organismo

    ********
    Aparecida, fraqueza no organismo não é. Você precisa consultar um neurologista, fazer os exames que ele pedir e seguir as orientações e prescrições dele para ficar boa disso.

  24. claudia disse:

    PRECISO URGENTE DE UM MEDICO ESPECIALISTA EM ENXAQUECA NO RIO DE JANEIRO DE PREFERENCIA QUE ACEITE BRADESCO SAUDE.ATT

    ***
    Claudia, um dos melhores especialistas em enxaqueca é o dr. Abboud, que atende gratuitamente no Hospital Deolindo Couto, em Botafogo (ao lado do Pinel), além de no seu consultório próprio.

  25. Cleane c Silva disse:

    Boa tarde Dr. Gustavo Meirelles
    meu marido tem 71 anos e sofre de neuralgia do trigemio há pelo menos 12 anos. causa dores súbitas , fortes que não conseque comer,,é nem falar,,ás vezes, ocorre em uma das metades do rosto e é muito intensa.
    ele só fez uso do Carbamazepina de 250ml,,nunca o medico passou outra coisa para ele tomar,
    Gostaria de saber se tém outros medicamentos para ele,,,tomar,,,é se á cirurgia e de alto risco para idade dele,,,,Aguardo sua resosta..mim ajude por favor..

    ***
    Prezada sra. Cleane

    Felizmente a medicina dispoe hoje de um arsenal bem vasto de medicamentos que podem combater com sucesso a nevralgia do trigemeo – mas ainda assim a carbamazepina é um remédio de primeira escolha para esta doença, existindo também em comprimidos (250 ml é a apresentação líquida) em doses de 200 e 400 mg. Há ainda esta mesma substância com o nome comercial Tegretol – e nesse caso existe a alternativa do Tegretol CR, que tem uma absorção mais lenta, prolongando assim por mais tempo no organismo o seu efeito benéfico.

    Leve seu marido a um ambulatório ou consultório de neurologia diferente daquele onde ele vem se tratando, para que este novo médico, examinando-o, possa escolher entre as modernas alternativas medicamentosas de tratamento (quase todas requerem receita controlada) a mais adequada para o caso dele.

    Quanto à cirurgia, a questão será se o risco vale o benefício – a idade dele não é tão elevada assim, mas o benefício da cirurgia nestes casos é relativo pois passado algum tempo a dor costuma retornar.

    Por fim, uma boa dica: existe um serviço especializado em dor que funciona no Hospital Estadual Pedro Ernesto (em Vila Isabel), e é gratuito. O chefe é o dr. Carlos Teles.

    Não entregue os pontos, não jogue a toalha!

    Saúde

    Dr. Gustavo Meirelles

  26. Leila Malheiros disse:

    Caro Dr. Gustavo, gostaria de saber se no seu consultório osr. aceita o convênio da Unimed-Rio ou, do contrário, que possa me indicar médicos neurologistas especializados, preparados e interessados em querer e saber tratar esta trinste doença do mal de alsheimer, a qual minha querida mãe é portadora.Ela está em tratamenteo há cerca de três anos, está progredindo, estamos todos desesperados e quero muito transferir minha mãe para outro neuro para ouvir sua opinião e as possibilidades de tratamentos,pq ela não dorme a noite toda, tem tido vários tipos de surto e o médico atual não aprova dar calmante, se nega a dar um laudo constatando a doença, enfim, só sabe dizer que não adianta, que é assim mesmo e que não tem jeito.Sou advogada e quando pego uma causa é porque acredito, luto por ela até o fim. Aguardo sua resposta e orientação e, desde já, fico-lhe muito grata. Leila Malheiros.

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
    Sra. Leila

    O neuro cooperado da Unimed Rio que lhe recomendo é o dr. Salim Michel, consultório em Ipanema telefones 2259-3049 e 2259-5548.

    Dr. Gustavi

  27. ALINE PRISCILA GODOI DEGRANDE disse:

    Olá Dr.gustavo gostaria de saber tenho uma hernia de disco na cervical c6 ec7,comecei com uma dor no ´pescoço depois foi aumentamto para o braço e torax,hoje tenho muita dor no torax braço e pescoço,do lado esquerdo so doi esse lado,não consiguo nem trabalhar pois estou a um ano em casa tive que pedir a conta do meu emprego,já estou cansada de ir ao medico pois eles não resolvem nada,hoje já não sei o que eu faço pois cada dia que passa sinto mais dores fortes~são tão fortes que tenho a sençasão que não vou aguentar.tomo meus remedios todos os dias mas tem dia que não parece fazer efeito.as vezes acho que tenho algo pior.aqui encaminha para a unicamp mas ja fez um ano e nada de chamar.estou a espera de uma luz.

    xxxxxxxxx
    Sra. Aline

    O único exame que irá confirmar se o seu caso é de uma hérnia de disco cervical é uma ressonância magnética – e se for, a especialidade médica que deverá tratá-la e acompanhá-la (independentemente de vir a ser operada ou não) é a neurocirurgia.

    Dr. Gustavo

  28. Glaucia disse:

    Boa Noite!

    Desde março de 2010, venho tendo crise de vertigem, zumbido tonturas e até desmaio. fui a varios especialista, otorrino, buco maxilo facial, ortopedista, cardiologista entre outros.. fiz muitos exames nda demais. Sendo que falta levar para o Neuro ver o eletroencefalograma. esse deu graI. o que significa Grau I no eletro. Ontem sofri muito com vertigem e tonturas , tomei até um vertizine D como de costume. por favor me ajudem a encontrar o melhor metodo para esclarecer o meu diagnostico. gostaria de saber se a coluna cervical hérnia de disco e problemas de estomago como Hpilore mesmo tratada. pode dar esses tipos de sintomas. obrigada por sua atenção
    um abraço,
    xxxxxxxxxxxxxx
    Sra. Glaucia

    Esqueça o H Pilore e o EEG grau I, pois eles não tem qualquer relação com as suas queixas. Já uma hérnia de disco e mesmo outros problemas na coluna cervical podem gerar quadros como o seu. É adequado mesmo consultar-se com um neurologista levando todos os exames que já fez (incluindo os da coluna cervical), pois ele poderá firmar o seu diagnóstico e instituir o tratamento adequado – que deverá envolver medicação e fisioterapia específicas.

    Ao seu dispor

    Gustavo

Faça um comentário